Telefone: (71) 3018-1680 / (71) 98107-0838 Email: comercial@adsccondominios.com.br

NOTÍCIAS

Como criar um plano diretor?

14/07/2019

O ideal é que o plano tenha o formato de cronograma e inclua todas as atividades que serão realizadas no período — inclusive reuniões e eventos de lazer. Para fazer o planejamento financeiro, em primeiro lugar considere as manutenções rotineiras (piscina, elevador etc.). A seguir, é preciso levar em consideração as manutenções corretivas, ou seja, promover reparos em todos os equipamentos de uso comum que não estiverem funcionando. Por fim, verifique quais manutenções preventivas podem ser feitas para evitar gastos maiores com consertos no futuro. Se o dinheiro em caixa não for o suficiente, calcule qual será o impacto dessas manutenções no valor do condomínio. Quanto a obras de melhoria, defina quais são as prioridades e pesquise o preço junto a algumas empresas para poder levar o assunto para discussão na assembleia. Como planejar cada ação? Para criar um plano diretor no condomínio é fundamental que cada uma das obras seja bem organizada. Após fazer um pré-orçamento, ter aprovação dos condôminos e escolher a empresa que prestará este serviço, é hora de elaborar e aprovar o projeto. A seguir, é preciso acompanhar sua execução, certificando-se de que está correta, de que não ficará acima do orçamento e nem terá atrasos. Na legislação sobre condomínios, as obras dividem-se em: emergenciais (imprevistos relacionados a necessidades básicas); necessárias (referentes à segurança e conservação das áreas comuns); úteis (que facilitam a vida dos moradores); voluptuárias (que têm somente finalidade estética). É importante priorizar as obras necessárias e as úteis, mas sempre mantendo dinheiro em caixa para emergências. Evite programar separadamente obras que são interdependentes — para não ter problemas no caso de atraso da primeira. O plano diretor precisa de aprovação? O plano diretor em si é somente um conjunto de ideias da administração. Cada uma delas precisa ser aprovada de acordo com seu tipo, mas elas não precisam ser apresentadas de uma só vez. Nenhuma obra feita em caráter de urgência precisa de aprovação, mas é preciso convocar os condôminos para dar explicações. As obras não urgentes e de melhoria precisam de aprovação por maioria simples (uma pessoa a mais do que a metade). Somente as obras que têm utilidade exclusivamente estética (decoração, projeto paisagístico, mudança de cor na fachada) precisam de aprovação de 2/3 dos moradores. Criar um plano diretor no condomínio não é uma tarefa simples, mas facilitará muito a vida da administração e dos moradores ao longo do ano, além de permitir mais controle sobre as finanças. Gostou de saber um pouco mais sobre a importância de ter um plano diretor no condomínio? Então assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos como este diretamente na sua caixa de e-mails!